domingo, 21 de novembro de 2010


Andar

Por que gosto de andar? Por vezes andar pode ser um  problema daqueles pelo qual temos de passar quase todos os dias. Temos de deslocar-nos e por vezes a preguiça e a vontade de nos teletransportar-nos é mais forte.
 Pois o que nós pessoas não pensamos é que andar é um dos maiores prazeres da vida!

 Não adianta de nada fazer a nossa caminhada a contar os segundos para nos sentar-mos. Quanto mais olhamos para o relógio, mais carrancudos nos tornamos e mais alegria desperdiçamos desnecessáriamente.

Pois então o que fazer para gostar-mos de nós deslocar a pé? Primeiro, se não andarmos simplesmente porque temos de o fazer mas andarmos para nos sentirmos vivos e capazes de o fazer muda tudo.

Quando eu ando, eu respiro e ouço a minha respiração, eu reparo no som dos meus sapatos a tocarem o passeio, a erva ou a areia (sou mais lenta por isso? Não, simplesmente mais feliz). Reparo no movimento dos meus braços e nas pequenas diferenças que cada andar tem um do outro (sorrio, que coisa tão simples, tão maravilhosa).

O meu olhar percorre a paisagem que me envolve, são plantas a acordar de manhã, ou são edificios a articularem os seus estores, é o passeio molhado pelo cântico suave da chuva que desceu na noite anterior, é o passeio seco e quente enunciando o bom dia.

Andar, não é andar!

Andar é movimento, som, cheiro, meditação, andar é mais um acto feliz do dia.

Parece tudo muito ilusório e podem pensar que não têm tempo para tais sentimentos, mas eu até sou uma pessoa que ando rápido (até demais), mas em segundos consigo retirar do andar o prazer de um acto verdadeiramente incrivel.

Vocês também conseguem!

Sem comentários:

Enviar um comentário